Associação Biodinâmica

Agricultura Biodinâmica

CARTAZ DO EVENTO | PROGRAMAÇÃO | INSCRIÇÃO | RESUMO | ACOMODAÇÃO | COMO CHEGAR

Histórico? O que é? Como será?

A horticultura orgânica e biodinâmica tem como base os princípios da Agroecologia, visando a produção de alimentos sem uso de agrotóxicos e adubos químicos, respeitando os processos ecológicos naturais dos agroecossistemas. A busca atual por mais saúde e qualidade de vida tem aumentado muito a demanda por alimentos saudáveis oriundos destes sistemas agroecológicos. Por sua vez, a agricultura familiar sendo a primeira a atender esta demanda, desenvolveu suas próprias tecnologias com base no saber popular e na agricultura tradicional. Contudo, a melhoria da produção e o uso correto dos recursos naturais nestes sistemas necessitam do desenvolvimento de pesquisas visando conhecer e testar estas e novas tecnologias. Nos últimos 15 anos a demanda por pesquisas em sistemas agroecológicos aumentou muito, cada vez mais o jovem cientista tem se interessado por pesquisas junto aos agricultores familiares.

Neste contexto, a Pós- graduação em Horticultura da FCA/ UNESP, a Associação Brasileira de Agricultura Biodinâmica, o Grupo de Agroecologia Timbó e os agricultores membros do Sistema Participativo de Garantia de Botucatu (SPG Botucatu),  estão organizando o II Simpósio de Horticultura Orgânica e Biodinâmica (II SimpHOrg) com o objetivo de unir ciência e extensão para o desenvolvimento da Horticultura Orgânica e Biodinâmica, proporcionando momentos de intensa interação e troca de experiências entre estudantes, pesquisadores, extensionistas e agricultores.

No I SimphOrg, realizado em Pardinho – SP, em 2015, as sementes de olerícolas tiveram especial relevância. E após 2 anos da sua realização, este tema ainda é preocupante, pois apesar da IN 46/2011 atualizada pela IN 17/2014 do Ministério da Agricultura (MAPA)  que regulamenta a agricultura orgânica no Brasil, estabelecer no capítulo II, artigo 100 que as sementes e mudas utilizadas em sistemas orgânicos, também devem ser de origem orgânica,  os agricultores ainda obtêm a certificação orgânica da sua produção, apoiados pela exceção ao uso de sementes convencionais em função da indisponibilidade de sementes orgânicas no mercado.

Na IN/46 atualizada pela IN 17/14,  em sistemas orgânicos, estabelece também que desde 2016 a CPOrg de cada Unidade da Federação deverá produzir anualmente uma lista com as espécies e variedades em que só poderão ser utilizadas sementes orgânicas em função da disponibilidade no mercado ser capaz de atender às demandas locais. Contudo até o momento, ainda não foi possível a publicação desta lista, visto que as sementes orgânicas produzidas ainda são insuficientes para atender a demanda de todos olericultores orgânicos.

Neste contexto, atualmente, a horticultura orgânica ainda está baseada na maioria dos casos no uso de sementes convencionais as quais possuem potencial produtivo dependente de um pacote tecnológico da agricultura convencional, conflitante com a horticultura orgânica baseada no emprego de tecnologias com baixo impacto ambiental e processos naturais. Por esse motivo, na horticultura biodinâmica não é permitido o uso de sementes convencionais, e desta forma a maioria dos olericultores, não conseguem obter a certificação Demeter, identidade da sua produção,  apesar de atender às demais exigências das normas Demeter.

No sentido de promover o aumento da produção e oferta de sementes orgânicas e biodinâmicas será organizado novamente em conjunto com o SimpHOrg, a VIII Feira de Sementes Crioulas do Estado de São Paulo (FSementesCrioulasSP).

A  VIII Feira de Sementes Crioulas do Estado de São Paulo com objetivo de resgatar, auxiliar na manutenção e multiplicação destes germoplasmas altamente adaptados. São de vital importância para a sustentabilidade e consolidação da horticultura orgânica e biodinâmica, em um momento do planeta em que a segurança alimentar está fragilizada pelas mudanças climáticas, especialmente pela falta de água e energia na agricultura. Agricultores de distintas regiões do estado já estão se organizando para participar do evento e trazerem suas sementes e/ou outro material propagativo.

Esta elevada mobilização, é fruto do excelente resultado e integração ocorrida desde a  V Feira de sementes crioulas foi realizada em Eldorado-SP, a qual reuniu mais de 500 pessoas, onde a troca de sementes e material propagativo foi intensa entre os presentes; na VI Feira realizada em conjunto com o I SimphOrg em 2015, em Pardinho – SP, reuniu 303 pessoas sendo eles, 133 agricultores familiares (44%), devido ao caráter nacional do simpósio, a feira expandiu seu caráter estadual, havendo a integração entre os estados de São Paulo e Minas Gerais.

A discussão sobre a produção orgânica e biodinâmica das sementes de olerícolas, fator hoje limitante na ampliação do número de agricultores biodinâmicos com certificação Demeter, foi um dos motivos que levaram a Associação Brasileira de Agricultura Biodinâmica a realizar em conjunto com o II SimphOrg, a XII Conferência Brasileira de Agricultura Biodinâmica (XII CBABd). Neste contexto, o II SimphOrg fortalece seu caráter nacional de abrangência.

No contexto de contribuir para as discussões que levem a solucionar os pontos limitantes para a certificação orgânica e Demeter, no II SimphOrg e XII CBABd, estarão discutindo formas ou fontes de baixo custo, naturais e seguras de nitrogênio para uso na horticultura.

Entre as fontes de nitrogênio disponíveis, a cama de frango, oriunda de sistemas de criação intensiva de aves não orgânicas, tem sido a principal fonte de nitrogênio para a adubação entre os agricultores, dado o baixo custo e elevada disponibilidade deste insumo.

A IN 46/11 modificada pela IN17/14, em seu anexo V, permite o uso da cama de frango, obtida provenientes de sistemas de criação com o uso intensivo de produtos veterinários e alimentos proibidos pela legislação de orgânicos desde que na região não existir alternativa disponível. Contudo, as análises de risco exigidas pela IN 46/11, têm indicado a necessidade de  verificação dos contaminantes constantes do Anexo VI (metais pesados, coliformes termotolerantes, ovos viáveis de helmintos e salmonela) e os resultados têm apontado na maioria das vezes níveis acima dos permitidos, e desta forma reduzindo a possibilidade de seu uso nas propriedades orgânicas. O custo destas análises, muitas vezes maiores do que o custo anual de certificação têm também sido impedimento para seu uso.

Nas normas Demeter, o adubo obtido a partir do esterco de animais introduzidos na propriedade não deve proceder de um sistema de manejo intensivo, ou seja,  quaisquer animais que não tenham um acesso confiável, efetivo e regular ao ambiente externo (ex: galinhas mantidas em granjas); ou submetidos a praticas antiéticas (ex: debicagem de galinhas, corte dos dentes de leitões); bem estercos de animais alimentados com ração geneticamente modificada não devem ser usados. Sendo possível emitir uma exceção ao uso se o esterco for compostado pelo tempo mínimo de 1 ano.

Neste contexto, considerando que o agricultor biodinâmico, possui a princípio o selo orgânico, além de realizar as análises de contaminantes estabelecidas pelo anexo VI da IN 46/11, poderão usar camas de aviários, desde que sejam compostadas por 1 ano ou sejam comprovadamente livres de OGM. Desta forma, o uso de cama de frango para o agricultor biodinâmico que visa obter a certificação Demeter, irá elevar ainda mais o custo de produção, considerando o número de pilhas que terá que adquirir para que possa cumprir o tempo de compostagem mínimo exigido pela certificação Demeter.

Ainda no âmbito do II SimphOrg e da XII CBABd, formas criativas e mais sustentáveis de produção de olerícolas, frutas, plantas medicinais e alimentícias não convencionais, serão abordadas com o objetivo de aumento da autonomia de nutrientes pela promoção da ciclagem de nutrientes, redução do uso de água e a consequente conservação e aumento dos recursos hídricos, a partir da implantação de sistemas agroflorestais orgânicos e biodinâmicos. Serão apresentadas experiências de sucesso realizadas no Brasil em pequenas e grandes propriedades, visando apontar a viabilidade desses sistemas como forma geradora de renda para agricultores familiares ou não, de elevada relação custo benefício para a natureza e para o homem.

No I SimphOrg houve intensa integração dos diferentes atores da horticultura, com  participação de 303 participantes,  deste total 43,9% de agricultores, 29,7% de profissionais de diversas áreas e 26,4% de estudantes de graduação e de pós-graduação. Do total de participantes   58,6 % pessoas eram do sexo masculino e 41,4% do sexo feminino, de diversas idades. Ou seja, o maior público presente foi de agricultores e agricultoras familiares que buscam desenvolver e fortalecer a horticultura orgânica e biodinâmica no estado de São Paulo e sul de Minas Gerais.

Em 2015, a Associação Brasileira de Agricultura Biodinâmica foi contemplada pelo Projeto Redes ECOFORTE (projeto 14.961) o qual tem como objetivo trabalhar no desenvolvimento de duas redes, Rede de Sementes e Sistemas de Certificação Participativa, e estes eventos serão parcialmente apoiados por recursos do Projeto Redes, por atender diretamente às necessidades de seu público beneficiário constituído na sua maioria por agricultores familiares, assentados da reforma agrária,  jovens e mulheres.

Em Botucatu, a partir da atuação do Projeto Redes Ecoforte, constituiu-se o  ‘Núcleo Biodinâmico Jovem de Botucatu’, que se reúne mensalmente para palestras e práticas de capacitação em biodinâmica, desde junho de 2016. O grupo se dedica atualmente ao campo da educomunicação com elaboração de informativos sobre as Unidades de Referências do Projeto (Pecuária Leiteira, Horticultura, Fruticultura e Sementes) e a realização de pesquisa (pela metodologia ‘pesquisação participativa’) no bairro Demétria acerca dos hábitos de consumo, conhecimento local da produção biodinâmica, adesão aos CSAs etc; com a análise e divulgação dos dados posteriormente para todo o bairro.

No município de Guapé, no Assentamento Santo Dias, está constituído o ‘Grupo Jovem’ do assentamento, com atividades de plantio de mudas, áreas de produção coletivas e produção de camisetas (silk-screen).

Estes grupos serão mobilizados a participarem ativamente na preparação deste evento, seja na produção de mudas, de material de divulgação (camisetas, cartazes, informativos etc), bem como darem apoio durante o evento em atividades práticas, artísticas e de sensibilização e coletivização da responsabilidade sobre a geração e destinação dos resíduos sólidos produzidos no evento.

‘Também no município de Guapé, o Projeto Redes Ecoforte atua com o Grupo de Mulheres Olhos D’Água no campo das plantas medicinais e fitoterápicos, com foco na pesquisa, identificação, validação, produção, formulação, transformação, distribuição e processos de reedição dos conhecimentos (capacitação, intercâmbio etc) e inserção em políticas públicas por meio da estruturação de uma Rede APL (Arranjo Produtivo Local) de Plantas Medicinais. As participantes do Grupo Olhos D’Água estarão inseridas na preparação de mudas e sementes de plantas medicinais visando a Feira de Trocas do evento, no grupo de trabalho temático, bem como atendimento aos participantes que necessitarem de cuidados fitoterápicos.

Neste contexto, o II SimphOrg, VIII Feira de sementes crioulas do Estado de São Paulo e XII CBABd, pretende ampliar de 300 para 400 participantes, ampliando em média 30% o número de agricultores familiares, estudantes de biologia, agronomia, agroecologia, engenharia florestal, ecologia, antropologia, sociologia, comunidade universitária, incluindo professores e pesquisadores, alunos de pós graduação, agentes de assistência técnica e extensão rural, sociedade consumidora de produtos orgânicos e biodinâmicos, com o objetivo de ampliar a união da ciência e extensão para o desenvolvimento e aumento da viabilidade ecológica e econômica da Horticultura Orgânica e Biodinâmica para toda a sociedade. Também haverá um foco no aumento do número de participantes do sexo feminino, visando aumentar a equidade de gêneros na participação do evento.

O II SimpHOrg, VIII Feira de Sementes Crioulas do Estado de São Paulo e a XII CBABd terá na sua programação (Quadro 01)  a realização da inscrição e recepção dos participantes, abertura solene com os representantes das organizações e entidades de apoio,  momentos de compartilhamento conceitual e formativo, grupos de trabalho de temas específicos visando diagnóstico, reflexão e co-criação de propostas,  feira de troca de sementes,  sessão para apresentação de pôsteres científicos e trabalhos de conclusão de curso, visitas e atividades práticas de campo coletivas, oficinas artísticas e feira cultural, de saberes e sabores.

Os momentos de compartilhamento conceitual e formativo e os grupos de trabalho contarão com aportes de profissionais consagrados em suas áreas e ocorrerão segundo metodologias inovadoras, participativas e integrativas conduzidas por profissionais com experiência em processos similares, tais como as abordagens do ‘Art of Hosting’, Teoria U, Aquário, ‘Vozes do Campo’ etc.

Objetivo do evento:

  • Promover o diálogo, a capacitação, a troca de experiências e a geração de novos conhecimentos e propostas entre participantes para o desenvolvimento e melhoria da viabilidade econômica, ecológica e social da agricultura orgânica e biodinâmica;
  • Integração dos participantes para a troca de sementes orgânicas e biodinâmicas;
  • Incentivo ao aumento da produção de sementes orgânicas e biodinâmicas;
  • Integração da Universidade com os agricultores familiares e extensionistas na área de horticultura orgânica e biodinâmica;
  • Apresentação de pesquisas científicas e estudos em horticultura e sementes orgânicas e biodinâmicas e agricultura biodinâmica em geral.

Programação 

XII CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE AGRICULTURA BIODINÂMICA / VIII FEIRA ESTADUAL DE SEMENTES CRIOULAS DE SP / II SIMPÓSIO DE HORTICULTURA ORGÂNICA E BIODINÂMICA - 09 a 12/10/2017



Do ponto de vista da abordagem, visamos:

  • Cuidar do ser humano em sua inteireza;
  • Valorizar a multiplicidade de vozes e olhares, as vocações de cada pessoa, organização e comunidade;
  • Promover a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres; jovens, adultos e idosos;
  • Considerar o equilíbrio entre processo e resultado;
  • Favorecer práticas de cooperação e diálogo;
  • Facilitar a geração, o compartilhamento e a apropriação de conhecimentos;
  • Operar na coletividade com  transdisciplinaridade, e;
  • Promover espaços de diálogo e encontros verdadeiros.

Os principais momentos da programação estão descritos a seguir

Momento de Nivelamento Conceitual e Formativo 1: Abordará as formas ou fontes de baixo custo, naturais e seguras de nitrogênio para uso na agricultura orgânica e biodinâmica.

Momento de Nivelamento Conceitual e Formativo 2: Abordará as políticas públicas, experiências de sucesso para a pesquisa, resgate, produção, comercialização e distribuição de sementes crioulas e tradicionais de olerícolas junto às comunidades rurais.

Momento de Nivelamento Conceitual e Formativo 3: Abordará o sistemas sintrópicos de  produção agroflorestal na horticultura autossustentáveis, com foco na produção de plantas alimentícias não  convencionais (PANCs),  frutas e plantas medicinais locais, com menor gasto energético e de água, maior biodiversidade e que gere alimentos, saúde e renda.

Grupos de trabalho: será o momento, por excelência, de diálogo e co-criação de propostas entre os participantes, organizados em grupos temáticos, onde os momentos ocorrerão por meio de metodologias integrativas visando promover maior interação entre os participantes na busca de soluções efetivas para temas relevantes específicos da agricultura e criação animal orgânicas e biodinâmicas. Os grupos de trabalho participarão, em sucessivas etapas com acúmulo processual, de visitas a unidades demonstrativas na própria Demétria, diálogo de aprofundamento dos desafios e questões, co-criação das propostas para superação dos desafios (laboratório de criação de protótipos), compartilhamento e qualificação das propostas em momento interativo aberto aos demais participantes do evento.

Feira de Troca de Sementes:  A Feira de Troca de Sementes tem como objetivo resgatar, auxiliar na manutenção e multiplicação de germoplasmas altamente adaptados. São de vital importância para a sustentabilidade e consolidação da horticultura orgânica e biodinâmica, em um momento do planeta em que a segurança alimentar está fragilizada pelas mudanças climáticas, especialmente pela falta de água e energia na agricultura. Agricultores de distintas regiões do estado já estão organizados para participar da Feira e trazerem suas sementes e/ou outros materiais propagativos. O Projeto Redes Ecoforte, implementado pela ABD, contribuirá por meio de facilitação de oficinas de sementes e participação em Feiras Regionais de Sementes voltadas para agricultores familiares de municípios do estado de São Paulo e da região Sul de Minas Gerais, área de atuação do Projeto, bem como articulação dos beneficiários para participação neste evento.

Sessão para apresentação de pôsteres científicos e de trabalhos de conclusão de curso: a comunidade acadêmica e de pesquisa terá oportunidade de divulgar  para a sociedade suas pesquisas realizadas dentro da horticultura orgânica e/ou biodinâmica previamente selecionadas por um comitê científico formado por professores e alunos de pós graduação do Departamento de Horticultura da FCA/ UNESP de Botucatu ; haverá também um espaço para que os alunos do Curso de especialização “Latu Sensu” de Agricultura Biológico Dinâmica, realizado pelo Instituto Elo e Faculdades Galileu, de Botucatu, possam apresentar seus TCCs na forma de pôster.

Visitas e atividades práticas de campo coletivas neste momento todos os participantes irão ser divididos para realização de mutirões em áreas de campo próximas ao evento para realização de práticas agrícolas (compostagem, podas no sistema agroflorestal da Associação Biodinâmica, cobertura morta de canteiros, semeadura e plantio de mudas,  etc. ) ou com preparados biodinâmicos (elaboração, colheita, dinamização e aplicação de preparados biodinâmicos)  as quais culminarão com a reunião do grupo com a realização conjunta de uma grande dança circular, finalizando ao  anoitecer com uma observação astronômica.

Oficinas artísticas: em 3 dias após o almoço será reservado um tempo para o despertar da sensibilidade. Cada participante deverá escolher uma atividade artística para realizar durante os 3 dias, sendo as opções: canto, pintura, argila, euritmia, ginástica, música, danças circulares etc.

Feira cultural de saberes e sabores: Em um mesmo espaço, organizado na forma de uma feira circular, será montada uma praça de alimentação, onde serão realizadas apresentações musicais  de artistas de Botucatu e região (chorinho, samba, música caipira e popular brasileira), apresentações artísticas com base antroposófica (dança, euritmia, canto coral, teatro) realizadas pela Aitiara Escola Waldorf e Núcleo Biodinâmico Jovem de Botucatu (Projeto Redes Ecoforte) e também um baile, em ritmo de troca de conhecimento e diversão, onde a premissa será o prazer gerado pela troca de cultura, saberes e sabores entre os  participantes.


Resumos

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE RESUMOS DE TRABALHO CIENTÍFICO, RELATO DE EXPERIÊNCIA TÉCNICA E RELATO DE EXPERIÊNCIA POPULAR

As submissões de trabalhos à Comissão Técnico-Científica do Evento deverão acontecer de acordo com as orientações descritas a seguir.

No evento poderão ser compartilhados RESUMOS na forma de TRABALHOS CIENTÍFICOS, RELATOS DE EXPERIÊNCIAS TÉCNICAS e RELATOS DE EXPERIÊNCIAS POPULARES.

No ato da submissão, os autores deverão selecionar a categoria que o trabalho se enquadra: TRABALHOS CIENTÍFICOS, RELATOS DE EXPERIÊNCIAS TÉCNICAS e RELATOS DE EXPERIÊNCIAS POPULARES.

Serão considerados TRABALHOS CIENTÍFICOS, resumos contendo resultados de pesquisas e estudos ou ensaios teóricos inovadores.

Serão considerados RELATOS DE EXPERIÊNCIAS TÉCNICAS os TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO ou RELATOS DE PROJETOS que descrevem projetos e/ou ações desenvolvidas por instituições de ensino, pesquisa ou extensão, em parceria com a sociedade civil, de forma articulada com a AGRICULTURA BIODINÂMICA ou HORTICULTURA ORGÂNICA/BIODINÂMICA.

Os relatos não devem se restringir ao aspecto meramente descritivo ou cronológico da experiência, mas fazer uma análise mais profunda e conceitual de sua contribuição para a AGRICULTURA BIODINÂMICA. Embora as experiências tenham sempre um caráter local, sua importância, ensinamentos, assim como suas bases e princípios, deverão apresentar caráter universal.

A modalidade RELATO DE EXPERIÊNCIA POPULAR, trata-se de experiência relatada e apresentada pelos próprios AGRICULTORES, AGRICULTORAS, COMUNIDADES E POVOS TRADICIONAIS OU ORGANIZAÇÕES SOCIAIS.   Espera-se que esse relato também apresente uma vivência contextualizada segundo os princípios da AGRICULTURA BIODINÂMICA ou HORTICULTURA ORGÂNICA/BIODINÂMICA.

FORMATO DE SUBMISSÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO E RELATO DE EXPERIÊNCIA

Os autores devem seguir as normas de submissão definidas pela Comissão Técnico-Científica e utilizar o modelo proposto para submissão de trabalhos. O modelo está disponível abaixo:

Baixar MODELO DE RESUMO 

- AVALIAÇÃO DOS TRABALHOS: Os trabalhos submetidos serão avaliados pela Comissão Técnico científica, formados por profissionais da Pós Graduação em Horticultura da FCA/ UNESP, Associação Brasileira de Agricultura Biodinâmica e Instituto Elo.

Aqueles que não seguirem as normas serão rejeitados sem avaliação. A qualidade do texto (gramática, ortografia e digitação), bem como as opiniões e conceitos emitidos nos trabalhos são de exclusiva responsabilidade dos (as) autores (as) e serão considerados como critério de avaliação pela Comissão Técnico-Científica. A qualidade técnica, a clareza do texto, a relevância e a pertinência do tema serão consideradas na avaliação. Recomendamos que os autores submetam seus trabalhos a uma revisão gramatical antes da submissão. Trabalhos com inconsistências linguísticas serão sumariamente rejeitados. Os trabalhos que necessitarem de correções somente serão publicados se os autores apresentarem as correções ou justificativas fundamentadas dentro dos prazos estabelecidos pela Comissão Técnico-Científica.

- ACEITE DOS TRABALHOS: Os pareceres da Comissão Técnico-Científica serão emitidos em caráter final, sem possibilidade de reconsideração. Os autores serão comunicados sobre o parecer à medida que os trabalhos forem sendo submetidos e avaliados até a data limite de 30 de setembro de 2017.  

- SUBMISSÃO ELETRÔNICA: A submissão do trabalho somente poderá ser feita por via eletrônica, no site do evento, a partir do dia 01/08/2017 até 11/09/2017.

Informamos que se detectado plágio o trabalho será rejeitado sumariamente. Salientamos que somente serão publicados e emitidos certificados para os trabalhos aprovados e apresentados na forma de Pôster no evento.

Na submissão do trabalho, no caso de aprovação, os autores estão automaticamente concordando com sua publicação e divulgação.  

 


Inscrição

Valor da inscrição:

  • Até 11/09/2017:
    a. AGRICULTOR FAMILIAR E ESTUDANTE DE GRADUAÇÃO/ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: R$ 80,00
    b. ESTUDANTE DE PÓS-GRADUAÇÃO: R$120,00
    c. PRODUTOR RURAL / PROFISSIONAIS: R$ 160,00
  • Após 11/09/2017 até 05/10/2017:
    d. AGRICULTOR FAMILIAR E ESTUDANTE DE GRADUAÇÃO/ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: R$ 100,00
    e. ESTUDANTE DE PÓS-GRADUAÇÃO: R$150,00
    f. PRODUTOR RURAL / PROFISSIONAIS: R$ 200,00
  • Após 05/10/2017:
    g. AGRICULTOR FAMILIAR E ESTUDANTE DE GRADUAÇÃO/ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO: R$ 120,00
    h. ESTUDANTE DE PÓS-GRADUAÇÃO: R$180,00
    i. PRODUTOR RURAL / PROFISSIONAIS: R$ 240,00

Observação: Agricultores familiares poderão negociar o valor da inscrição pela troca de alimentos orgânicos para as refeições. Entrar em contato até dia 11/09/2017 no e-mail: simphorg2@gmail.com

Dados bancários 

  • Associação Brasileira de Agricultura Biodinâmica
    CNPJ: 00.835.771/0001-07
    Banco do Brasil (número do banco: 001)
    Agência 0079-5 Conta corrente 10.673-9

SUGESTÃO DE ACOMODAÇÃO

Fazer a reserva com antecedência!

  • Café Somé Restaurante e Pousada – (14) 3882.0008 falar com Silvana e Roberto
  • Espaço Comunitário Som em Pé (pousada) – estreladomar@lpnet.com.br com Ilza
  • Pousada Guaimbê – (14) 3882.7438
  • Home Stay I Sapori dell'Italia falar com Tina – (14) 98823.1193, isaporidellitalia@gmail.com
  • Hostel Rama – (14) 99717.7997 e 3815.3620
  • Estamos ainda confirmando possibilidades de camping e hospedagem solidária para estudantes e agricultores familiares que necessitarem, sendo solicitado no e-mail: simphorg2@gmail.com após pagamento da inscrição.

Como Chegar

De Onibus (Rapido Fenix (11) 3392-1232 SP, (14) 3882-4411 BTU) 
São Paulo > Botucatu

  • 2a-feira: 06h30, 08h30, 11h30, 16h00 e 18h00
  • 3a-feira, 4a-feira e 5a-feira: 08h30, 11h30 e 19h00
  • 6a-feira e domingo: 08h30, 11h30, 13h30, 16h00, 18h00 e 19h30
  • sabado: 08h30, 11h30, 16h00 e 19h00
  • diariamente 21h00 Indireto

Botucatu > São Paulo

  • 2a-feira: 04h30, 07h30, 11h00, 15h30 e 18h30
  • 3a-feira, 4a-feira e 5a-feira: 07h30, 14h00 e 18h30
  • 6a-feira e domingo: 07h30, 12h00, 14h00, 16h00, 18h30 e 19h30
  • sabado: 07h30, 11h00, 15h30, 18h30
  • diariamente 15h00 Indireto

De Onibus (Vale do Tiete (11) 3392-1682 SP, (14) 3882-0288 BTU) 
São Paulo > Botucatu

  • 2a-feira: 06h00, 07h30, 14h30, 17h00, 18h50
  • 3a-feira, 4a-feira e 5a-feira: 07h30, 14h30, 17h00
  • 6a-feira: 07h30, 10h00, 14h30, 17h00, 18h50 e 20h00
  • sabado: 07h30, 10h00, 14h30, 17h00
  • domingo: 07h30, 15h30, 17h00, 17h50, 20h00, 20h30

Botucatu > São Paulo

  • 2a-feira: 03h30, 05h30, 09h00, 13h00, 17h30
  • 3a-feira, 4a-feira e 5a-feira: 05h30, 09h00 e 17h30
  • 6a-feira: 05h30, 09h00, 13h00, 15h00, 17h30 e 19h00
  • sabado: 05h30, 09h00, 13h00 e 17h30
  • domingo: 09h00, 13h00, 15h00, 17h30, 19h00 e 20h00

* os horarios de onibus podem mudar sem aviso previo, por favor consulte as empresas de onibus antes de confirmar a sua viagem

De avião descendo em Guarulhos

  • 1° opção: pegar ônibus até metrô tatuapé e de lá, pegar o metrô Barra Funda (Rodoviária Barra Funda), onde voce tera as opcoes de onibus (horarios acima)
  • 2° opção: ônibus direto do aeroporto até a Rodoviária Barrafunda, e de la pegar onibus para Botucatu (horarios acima)

 

 

abd elo mec

AGENDAMENTO DE VISITAS GUIADAS
Favor avisar com antecedência. Horário recomendado: Sexta-feira às 9h00.

calendario astronomico 2017

Calendário Biodinâmico


Clique no link acima para baixar o mês de Janeiro/2017.

Cursos 2017 - Programe-se!

VEJA PROGRAMAÇÃO COMPLETA DE 2017
AGOSTO
18, 19 e 20 - O Semeador de Estrelas: ritmos astronômicos na agricultura – Pedro Jovchelevich INSCREVA-SE
SETEMBRO
02 - Manejo ecológico eficaz de formigas cortadeiras – Flávio Chueire
16 e 17 - Introdução à Agricultura Biodinâmica: Vida nova para a Terra (Módulo 2 – Palestras 3 e 4 do Curso Agrícola de Rudolf Steiner) – João Carlos Ávila INSCREVA-SE
30/09 e 01/10/2017 – Jardinagem Biodinâmica – Andrea D’Angelo Lazzarin
VEJA PROGRAMAÇÃO COMPLETA DE 2017

Eventos de Parceiros

SETEMBRO
Dia 02: Especialização em Agricultura Biodinâmica. Inscrições: Instituto Elo

Informativo ABD

Para receber informacões sobre CURSOS e eventos da ABD, digite o seu nome e endereço de email abaixo:

Mapeamento Biodinâmico

Pesquisa de Mercado

Este mapeamento tem o objetivo de entender como o consumidor final percebe a agricultura biodinamica, se ele a reconhece, se compreende suas vantagens etc. Trata-se de um marco zero para iniciarmos anualmente um monitoramento da evolução dos habitos de consumo em relação a agricultura biodinamica.