Associação Biodinâmica

Relato do Encontro Internacional de Agricultura – Goetheanum – Dornach, Suíça

NOSSA TERRA – UM JARDIM GLOBAL?
por Andrea D’Angelo Lazzarin

O Encontro Internacional de Agricultura ocorreu em fevereiro de 2016, no inverno do hemisfério norte, em Dornach, na Suíça. A paisagem estava recoberta por um suave manto esbranquiçado e as noites com um frio cristalino. A atmosfera do encontro com mais de 550 pessoas foi muito calorosa e a qualidade biodinâmica em todos os alimentos oferecidos foi espetacular. Presentes estavam pessoas de todos os continentes, um intercâmbio fenomenal de situações e diversidades. Assim este Encontro Agrícola foi um grande impulso de reconhecimento da Terra como um verdadeiro jardim global!

A primeira palestra de Jean-Michel Florin, dirigente da Seção de Agricultura, abriu o olhar para a relação do ser humano com a elaboração e preparo de Jardim como uma necessidade da história cultural humana. Jardim em sentido amplo, como local de cultivo de hortaliças, de plantas medicinais, de flores, de espécies vegetais muito diversas, parques, cultivo de jardins urbanos e rurais. Somos responsáveis pela nossa Terra. Infelizmente, hoje, não é possível encontrar jardins belos e vitalizados por toda parte!

Durante diversas épocas culturais o Jardim era tido como uma representação e um reflexo do Cosmo, do mundo celeste. O jardim era tido como um local de ordem cósmico-divina. Na época romana o jardim perdeu sua ligação com o mundo divino e a viva natureza era então vista como um objeto. As pessoas começaram a desenvolver jardins mais racionais. Além disso, o conceito de propriedade de terra e divisões em áreas privadas teve uma inicial importância.

Neste momento a ordem cósmica transformou-se em ordem humana. O ser humano caminha cada vez mais para uma individualização separando-se do divino e, portanto vivenciando-o ainda menos na natureza ao seu redor. Na época da idade média houve um incremento na vivência humana com o jardim. Este passou a ser um reflexo ou uma imagem da alma humana. As diversas plantas cultivadas revelavam as diversas condutas da alma humana. Nesta época o ser humano buscava-se a si próprio e ao divino. Era um local de cuidado e cultivo. Durante a época da renascença outro movimento na alma humana surgiu; este pêndulo continua a acontecer também até o século XIX e XX quando a história dos jardins torna-se ainda mais diversificada.

Atualmente podemos perceber que esta relação com o Jardim é uma possibilidade de se vincular com o cosmo a partir de uma nova conduta. Isso quer dizer que cada local individual torna-se único na sua relação entre qualidades terrestres e cósmicas. Estas qualidades devem ser desenvolvidas de forma harmônica e coerente, preservando o sentido da qualidade em si, tanto terrestre como cósmica.

É possível vislumbrar três qualidades essenciais que podem em consonância reger e inspirar a existência de jardins, áreas verdes e parques no presente e no futuro. São elas: Verdade, Beleza e Bondade (Vero, Belo, Bom). Estas qualidades devem nos nutrir e nos alimentar, evem ser belos para nutrir a alma, e sem dúvida devem ter um sentido para proporcionar uma vida social digna.

Os dias seguintes foram complementando esta imagem descrita acima com riqueza de exemplos e situações específicas em muitos cantos da Terra: um belíssimo parque desenvolvido na área urbana de Singapura, em uma área recuperada para promover a qualidade do verde e da água. Lá se construiu um espaço de atividades diversas, onde a população frequentadora além de usufruir do espaço, pode inclusive cultivá-lo.

Outra contribuição de uma jornalista francesa tratou de mostrar situações de realidade de risco, em que pessoas que viveram em limites da existência socioeconômica encontraram no cultivo de jardim uma esperança de continuidade de uma vida com dignidade. Exemplos na Argentina, na França, Canadá.

A importância de se tratar do tema da jardinagem desde a infância foi enfatizada especialmente em escolas. A partir do trabalho desde a primeira infância a criança desenvolve a devoção pelos seres da Terra. Trabalhar com jardinagem, com cultivo de plantas, significa trabalhar com o futuro. Trabalha-se com o vir a ser das sementes e das plantas. Ao trabalhar com jardinagem e um contexto educacional o professor age a serviço do futuro, com o impulso revitalizador para o despertar para o futuro, em uma ação no presente. O jovem que aprendeu a trabalhar com as mãos na terra na sua infância tem a chance de desenvolver a gratidão para com os seres da natureza e sente-se em afinidade para cuidar dela.

Atualmente esta é uma necessidade emergencial.

Ainda uma palestra de um agricultor norueguês trouxe a relevância do aspecto individual de uma paisagem. No contexto ambiental especifico que uma agricultura é realizada tem-se o caráter próprio vinculado àquela determinada região e paisagem, uma atmosfera espiritual única e autêntica. Esta qualidade do espírito local fortalece o aspecto individual e propicia uma inter-relação específica com os elementos desta natureza e com os componentes deste ambiente. O espírito local é em realidade irrestrito. É preciso haver um constante diálogo do agricultor com tempo, espaço e consigo mesmo, no sentido mais prático possível! Ao desenvolver esta atitude podemos direcionar as ações para uma força criadora e criativa. Ou seja, algo semelhante à criatividade, porém com uma habilidade de inovação. Para esta situação o princípio da metamorfose, estudada e praticada em todo princípio de vida, serve como fonte de inspiração.

Este encontro de agricultura pôde reunir outras inúmeras contribuições em curtas palestras apresentando realidades tão distintas, escutamos vários idiomas, e tantas qualidades em diálogos com os agricultores, consumidores, pesquisadores etc... Desde responsáveis por grandes extensões de terra como em muito pequenas áreas, o principal é transformar a área para uma área verde de cultivo seja para alimento, para beleza, seja em área rural ou urbana. Assim todas estas áreas tornam-se áreas cuidadas por mãos humanas e habitadas por pessoas e por seres da natureza que precisam de seus refúgios.

Transformar a Terra em verdadeiro jardim global é uma grande tarefa que já vem sendo realizada pelo ser humano. Conseguir construir a fertilidade do solo – a partir dos fundamentos da natureza para uma tarefa cultural: este é o tema do ano para o próximo encontro internacional de agricultura em fevereiro de 2017.

Desejo a todos os leitores boas reflexões sobre o tema apresentado e boas descobertas ao longo deste ano para o tema da fertilidade da terra!

abd elo mec

AGENDAMENTO DE VISITAS GUIADAS
Favor avisar com antecedência. Horário recomendado: Sexta-feira às 9h00.

calendario astronomico 2017

Calendário Biodinâmico


Clique no link acima para baixar o mês de Janeiro/2017.

Cursos 2017 - Programe-se!

VEJA PROGRAMAÇÃO COMPLETA DE 2017
ABRIL
29 e 30 – Produção de Hortaliças Biodinâmicas – Módulo 2 (Frutos) - Luciana Gomes de Almeida Inscreva-se
MAIO
06 e 07 - Oficina de Construção de estufas em Bambu - Carlos Lira Inscreva-se
13 e 14 - O Semeador de Estrelas: ritmos astronômicos na agricultura – Pedro Jovchelevich
20 e 21 - Introdução à Agricultura Biodinâmica: Vida nova para a Terra (Módulo 3 – Palestras 5 e 6 do Curso Agrícola de Rudolf Steiner) – João Carlos Ávila e Deborah Castro
27 e 28 - Agrofloresta na Biodinâmica: Sistemas produtivos tropicais complexos e resilientes – Módulo 2 – O desenho de sistemas biodinâmicos complexos e resilientes – Marcelo Martins Ribeiro, Julio Soraggi e Fernando Silveira Franco.
VEJA PROGRAMAÇÃO COMPLETA DE 2017

Eventos de Parceiros

ABRIL
Dia 01: Curso Fundamental de Agricultura Biodinâmica (Lato Sensu) - Botucatu, SP Mais Informação
JULHO
Dias 02 a 06: 1o Encuentro Latinoamericano de Agricultores Biodinamicos del Café y Cacao. Inscrições: encuentrolabdcafecacao@gmail.com Mais Informação

Informativo ABD

Para receber informacões sobre CURSOS e eventos da ABD, digite o seu nome e endereço de email abaixo: